ÉPOCA. SE É PARA MUDAR, MUDAR PRA VALER!

Ou se muda de verdade, ou não se muda.

De semanas para cá existe uma nova ÉPOCA. Se você acostumou-se a mesma Época de duas décadas, se você é da época da velha Época, esqueça.

Em verdade, seus editores concluíram que o caminho que trouxe a revista até aqui não a conduzirá a canto algum.

E, assim, decidiram, e seguindo AL RIES e JACK TROUT, com o endosso do maior dos mestres, PETER DRUCKER: “REPOSITIONING, OR, DIE”!

E talvez tenham feito um dos mais radicais reposicionamentos de toda a história das revistas em nosso país,

Para o bem – para os que gostam de leitura e matérias de qualidade, por exemplo, eu. E, para o mal – para os que gostam de uma semanal que concentre-se em tudo o que aconteceu de mais relevante, no que vem pela frente, de forma curta e rasa.

De resto, desistiu de brigar com VEJA. Que também debilitada, mantém uma liderança tranquila e inabalável.

Se você ainda não experimentou a NOVA ÉPOCA, absoluta e radicalmente NOVA, mais que recomendo.

Na edição que circula hoje com VALOR, O GLOBO, nas bancas, e na casa dos assinantes, e como é nessa nova fase, poucas matérias.

A maior delas, COMO VOTAM OS JOVENS. E, para tangibilizar mais seu novo posicionamento oferece 12 capas diferentes.

Nada a ver com a velha ÉPOCA. Nada a ver com VEJA. Nada a ver com ISTOÉ. E, também, ainda que um pouco mais próxima, nada a ver com a NEW YORKER.

Tomara que dê certo. Faltava uma revista assim.