Acho que minha adorada filha JOJO chegou lá.
Traduziu e deu vida à manifestação monumental do poeta inglês John Keats. A beleza por completo.
Decorrente de um processo de criação e realização conjunto.
Ator e autor.
Pela ordem. Ator, protagonista, e, depois e na sequência, autor, designer.
E assim nascem manifestações com alma e propósito, revelando e magnificando narrativas.
Exclusivas.
Únicas.
Como tudo, se possível e sempre, deveria ser.
Prismas, como me ensinou meu amado mestre Drucker, que mais que refletir, refratam, aquilo que temos e somos, confrontado com o ambiente que nos liberta, e as pessoas que amamos.
Enfim, a vida.
Francisco Madia,
com muito orgulho e maior emoção, o pai da JOJO.