A criação magistral de JULIO RIBEIRO e de toda a equipe da TALENT, um dos momentos máximos da publicidade e do marketing brasileiro de excepcional qualidade, foi renegada pela própria BRASTEMP.

E criminosa, e, burramente, aposentada. Criminosa por ter dilapidado o patrimônio dos acionistas. Uma espécie de estelionato em marketing.

Pela vaidade e arrogância de profissionais de marketing da empresa que ao invés de enaltecerem a marca da empresa onde trabalhavam preocupavam-se exclusivamente em deixar a sua marca. A marca deles. E deixaram.

E assim, e de forma medíocre e lamentável, aposentaram no esplendor de sua trajetória um dos 10 melhores positioning statement de toda a história do marketing brasileiro.

Hoje, nos jornais, de forma oportunista e lamentável, a BRASTEMP em anúncio de uma página imagina estar homenageando o JULIO.

E diz, “Obrigado, JULIO, sem você a BRASTEMP NÃO SERIA ASSIM UMA BRASTEMP”.

Em verdade apenas lembra que mesmo tendo pago pelos serviços contratados, recebeu infinitamente mais do que verdadeiramente é.

E que de alguma forma reitera, ao “pegar carona” na despedida de JULIO RIBEIRO, de que jamais mereceu a inteligência, criatividade e qualidade dos serviços que recebeu.

E que continua oportunista e inconsistente.

JULIO e TALENT, vocês exageraram. A BRASTEMP NÃO ERA E CONTINUA NÃO SENDO UMA BRASTEMP.