Neste final de semana decidi ver um filme sobre o qual ouvira alguns comentários, sempre pautados por reticências. Mesmo assim…

Estou me referindo a MONSIEUR & MADAME ADELMAM. Onde os atores são os autores, diretores, compositores, com a contribuição de mais duas ou 3 pessoas, além, claro, de toda a equipe e coadjuvantes.

Na primeira metade é um delírio. Na segunda, incomoda, gera desconforto, coloca o espectador na parede. Quando termina, a vontade é dizer-se que não gostou. Mas, passados alguns minutos, com tudo devidamente assentado, vem a conclusão: BRILHANTE! VERDADEIRO! SENSACIONAL!

A atriz e co-roteirista e, de certa forma, co-diretora, DORIA TILLIER, simplesmente encantadora. De longe, o mais consistente e inspirador personagem feminino dos últimos anos; talvez, da história do cinema.

O diretor, e compositor, e ator, NICOLAS BEDO, brilhante.

Um jovem de 37 anos – 21 de abril de 1980 à NEUILLY-SUR-SEINE – com um desafio descomunal pela frente, diante do que conseguiu realizar e conquistar já em seu primeiro filme.

Se você quer se divertir e se incomodar, mais que recomendo o melhor filme do ano, e o mais POLITICAMENTE INCORRETO dos últimos anos.

Que diz e faz coisas que você, provavelmente, considerou fazer, mas faltou o empurrãozinho final. Mais ou menos, como no final do filme, por compaixão e piedade. Por amor.